Menu Content/Inhalt
header_2.jpg
 
Preparados para a nova grafia?

Aplicação do novo acordo ortográfico arranca agora nos primeiros anos de escolaridade e chega ao Secundário em 2013/2014. Professores e responsáveis educativos defendem ações de formação e avisam que a convivência de duas grafias poderá complicar a adaptação.

O novo acordo ortográfico começa a sair do plano das intenções. Há jornais, canais de televisão e editoras que já adotaram a nova grafia e, este ano, alguns manuais escolares já foram publicados com as regras que progressivamente serão usadas por toda a população dos países de língua oficial portuguesa. No sistema de ensino, os primeiros passos são dados agora.

Para facilitar a vida aos alunos que já interiorizaram uma grafia, há um período de transição em que os erros não serão bem erros. Depois disso, não haverá desculpas. Tudo preparado? A resposta é sim e não.

A Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC) já definiu o calendário para a aplicação do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa aos manuais escolares até 2015. O primeiro passo é dado durante este ano letivo. Em 2011/2012, o acordo abrange os livros do 1.º e 2.º anos de escolaridade, a área curricular disciplinar de Matemática do 4.º ano, todas as disciplinas do 2.º ciclo do Ensino Básico - exceto Educação Física, Educação Musical e Educação Visual e Tecnológica do 5.º e 6.º anos e Língua Portuguesa do 6.º ano -, e o manual de Língua Portuguesa do 7.º ano e o de Matemática do 8.º ano.

Em 2012/2013, o acordo chega ao 3.º ano de escolaridade, às disciplinas de Educação Física, Educação Musical e Educação Visual e Tecnológica do 5.º ano, ao manual de Língua Portuguesa do 6.º ano, a todas as matérias do 7.º ano - com exceção da Língua Portuguesa - ao Português do 8.º ano e a Matemática do 9.º ano. No ano letivo seguinte, em 2013/2014, as novas regras ortográficas são aplicadas nos manuais do 4.º ano - exceto na área curricular disciplinar de Matemática - nas disciplinas de Educação Física, Educação Musical e Educação Visual e Tecnológica do 6.º ano, nos manuais do 8.º ano - com exceção de Língua Portuguesa e Matemática -, na Língua Portuguesa do 9.º ano e ainda em todas as disciplinas do Ensino Secundário. Por fim, em 2014/2015, o acordo abrange todas as disciplinas do 9.º ano, à exceção de Língua Portuguesa e Matemática.

A Porto Editora tem, no seu site na Internet, um conversor do acordo ortográfico totalmente gratuito que converte as palavras para a nova grafia e tira todas as dúvidas a quem quer utilizar a nova grafia sem erros. O que muda no emprego das maiúsculas, do hífen, na acentuação gráfica, nos grupos consonânticos e no alfabeto é também explicado com pequenos vídeos. Este conversor não funciona como corretor ortográfico.

Recorde-se que o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 pretende criar uma ortografia unificada que seja utilizada por todos os países de língua oficial portuguesa. O acordo foi assinado pelos países lusófonos que decidiram pôr um ponto final a duas normas ortográficas divergentes - a utilizada no Brasil e a usada nos restantes países -, com o objetivo de contribuir para o aumento do prestígio internacional, expansão e afirmação da língua portuguesa. Trata-se de um acordo que valoriza o critério fonético em detrimento do critério etimológico, de forma a aproximar a escrita da forma falada das palavras. A 1 de janeiro de 2012, os serviços e organismos do Estado português terão a grafia adaptada.

Fonte: educare.pt

 
< Anterior   Próximo >