Menu Content/Inhalt
header_2.jpg
 
16% dos adultos no mundo ainda são analfabetos

Cerca de 16% da população adulta mundial não sabe ler nem escrever, conclui-se a partir de dados revelados pela UNESCO, organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura. Com base em dados referentes a 2008, a agência da ONU indica que o total de adultos analfabetos naquele ano atingia os 796 milhões, mais de metade (412 milhões) no Sul da Ásia e outros 176 na África subsariana, regiões que somam três quartos (74%) da população mundial incapaz de ler ou escrever.

Embora não referida nos dados divulgados a propósito do Dia Internacional da Alfabetização, que será assinalado na próxima quinta-feira, a população mundial, segundo dados da própria ONU, rondava em 2008 os 6 650 milhões de pessoas, 73% das quais (4 855 milhões) tinham mais de 15 anos, idade a partir da qual o indivíduo é considerado adulto nas estatísticas da UNESCO.

Com base nestes dados, os cálculos apontam para cerca de 16% de analfabetos no mundo, dois terços dos quais são mulheres.

Por países, é na África subsariana que se encontram os maiores índices de analfabetismo entre a população adulta: Mali (74%), Burkina Faso e Níger (71%), Chade (66%), Etiópia (64%) e Senegal (58%) são alguns dos países onde mais de metade da população não consegue ler nem escrever.

Desde há 20 anos, a taxa de evolução da população alfabetizada aumentou 8% a nível global -- 6% na população masculina e 10% nas mulheres.

Em Portugal, a última taxa oficial de analfabetismo, apresentada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), tem dez anos (Censos de 2001) e um valor percentual de 9,03%.

Por grupos, a UNESCO coloca o país no grupo com taxa de alfabetização entre os 90% e 100%, a par dos restantes países europeus, Rússia, China, Ásia Central e quase toda a América Latina.

Sobre os Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, o estudo não apresenta quaisquer dados, tal como sucede com o Afeganistão e o Iraque.

Fonte: educare.pt

 
< Anterior   Próximo >